Alimentação Saudável

 

  1. Faça pelo menos três refeições (café da manhã, almoço e janta) e dois lanches saudáveis por dia. Não pule as refeições e não exagere na quantidade.

Fazendo todas as refeições você evita que o estômago fique vazio por muito tempo, diminuindo o risco de gastrite, de ficar com muita fome ou exagerar na quantidade quando for comer. Evite “beliscar” entre as refeições, isso vai ajudar você a controlar o peso.

O consumo freqüente de sal, gorduras, açúcar, doces, refrigerantes, salgadinhos e outros alimentos industrializados aumentam o risco de doenças como câncer, obesidade, hipertensão arterial, diabetes e doenças do coração. Escolha os alimentos mais saudáveis lendo as informações e a composição nutricional nos rótulos dos alimentos.

  1. Inclua diariamente seis porções do grupo dos cereais, como arroz, milho e trigo; tubérculos como a batata; raízes como mandioca/macaxeira/aipim; pães e massas nas refeições. Dê preferência aos grãos integrais e aos alimentos na sua forma mais natural.

Estes alimentos são a mais importante fonte de energia, e devem estar entre os principais componentes da maioria das refeições, pois são ricos em carboidratos. Distribua seis porções desses alimentos nas principais refeições diárias (café, almoço e jantar) e nos lanches.

  1. Coma diariamente pelo menos três porções de legumes e verduras como parte das refeições e três porções ou mais de frutas nas sobremesas e lanches.

Estes alimentos são ricos em vitaminas, minerais e fibras. Devem estar presentes nas refeições, pois contribuem para a proteção à saúde e diminui o risco de ocorrência de várias doenças. Dê preferência aos alimentos crus e procure combinar verduras e legumes de maneira que o prato fique colorido, garantindo assim diferentes nutrientes. 

  1. Coma feijão com arroz todos os dias, ou pelo menos cinco vezes por semana. Esse prato brasileiro é uma combinação completa de proteínas e bom para a saúde.

Misture uma parte de feijão para duas de arroz, cozidos. Use também outros tipos de leguminosas (soja, grão de bico, ervilha seca, fava, lentilha). As sementes (de girassol, gergelim, abóbora e outras) e as castanhas (do Brasil, de caju, nozes, amendoim, amêndoas e outras) são fontes de proteínas e de gorduras de boa qualidade.

  1. Consuma diariamente três porções de leite e derivados e uma porção de carnes, aves, peixes ou ovos. Retirar a gordura aparente das carnes e a pele das aves antes do preparo torna estes alimentos mais saudáveis.

Leite e derivados são as principais fontes de cálcio na alimentação. Carnes, aves, peixes e ovos fazem parte de uma alimentação nutritiva e contribuem para a saúde e para o crescimento saudável. Todos são fontes de proteínas, vitaminas e minerais.  

Prefira peixe e frango à carne vermelha. Dê preferência também às carnes magras. Consuma lacticínios com menores quantidades de gorduras (desnatados). As gestantes, contudo, devem dar preferência a esses alimentos na forma integral, exceto quando houver orientação de médico ou nutricionista. 

  1. Consuma no máximo uma porção de óleos vegetais, azeite, manteiga ou margarina.

Reduza o consumo de alimentos gordurosos, como carnes com gordura aparente, embutidos (salsicha, lingüiça, salame, presunto, mortadela), queijos amarelos, frituras e salgadinhos.

Use pequenas quantidades de óleo vegetal para cozinhar (canola, girassol, milho, algodão e soja). Prepare os alimentos com pouco óleo: assados, cozidos, ensopados e grelhados.  

Use azeite de oliva para temperar saladas, sem exagero. Evite usá-lo para cozinhar, pois perde sua qualidade nutricional quando aquecido.

Prefira margarinas sem sal e com baixos níveis de gorduras trans. Procure essa informação no rótulo do produto.

  1. Evite refrigerantes e sucos industrializados, bolos, biscoitos doces e recheados, sobremesas doces e outras guloseimas como regra da alimentação. Coma-os no máximo duas vezes por semana.

Consuma no máximo uma porção do grupo dos açúcares e doces por dia. Valorize o sabor natural dos alimentos e das bebidas evitando ou reduzindo o açúcar a eles adicionado. Diminua o consumo de refrigerantes e de sucos industrializados; a maioria dessas bebidas contém corantes, aromatizantes, açúcar ou edulcorantes (adoçantes artificiais) que não são saudáveis.

  1. Diminua a quantidade de sal na comida e retire o saleiro da mesa.

A quantidade de sal diária deve ser, no máximo, de uma colher de chá rasa por pessoa, distribuída em todas as refeições do dia.

Evite consumir alimentos industrializados com muito sal (sódio) como hambúrguer, charque, embutidos (salsicha, lingüiça, salame, presunto, mortadela), salgadinhos e outros produtos industrializados, como conservas de vegetais, sopas, molhos e temperos prontos. Leia o rótulo dos alimentos e prefira aqueles com menor quantidade de sódio. O consumo excessivo desta substância aumenta o risco de hipertensão arterial e doenças no coração e nos rins.

  1. Beba pelo menos dois litros (de seis a oito copos) de água por dia. Dê preferência ao consumo de água nos intervalos das refeições.

A água é muito importante para o bom funcionamento do organismo das pessoas em todas as idades. O intestino funciona melhor e o corpo se mantém hidratado.

  1. Torne sua vida mais saudável. Pratique pelo menos 30 minutos de atividade física todos os dias e evite as bebidas alcoólicas e o fumo.

Além da alimentação saudável, a atividade física regular é importante para manter um peso saudável.

Movimente-se! Descubra um tipo de exercício agradável, pois o prazer também é fundamental para a saúde. Caminhe, dance, ande de bicicleta, jogue bola, brinque com as crianças. Aproveite o espaço doméstico e público para movimentar-se. Convide os vizinhos, amigos e familiares para acompanhá-lo.

Evitar o fumo e o consumo freqüente de bebida alcoólica também ajuda a diminuir o risco de doenças graves como câncer e cirrose, e pode contribuir para melhorar a qualidade de vida.

Voltar

Avançar Imprimir esse texto

Essa página faz parte do site da UFRGS e foi desenvolvido por Drª. Cristina Rolim Neumann e pela acadêmica Meiri Andréia Maria da Silva - Faculdade de Medicina - Depto. de Medicina Social