portal da UFRGS Faculdade de Medicina - UFRGS
Informática em Saúde
portal da FAMED
Indicadores de Mortalidade
Última atualização: 2007-11-22 (PDF)

Fonte: http://anvisa.gov.br/institucional/snvs/coprh/cursos/mortalidade_epid.pdf

Indicadores de Mortalidade

Principais usos:

  • descrição das condições de saúde de uma população;
  • investigação epidemiológica;
  • avaliação de intervenções saneadoras.

Limitações do uso da mortalidade como indicador:

  • exprimem gravidade/ refletem um história incompleta da doença;
  • danos que raramente levam ao óbito não são representados;
  • óbitos são eventos que incidem em pequena parcela da população;
  • as mudanças nas taxas de mortalidade são lentas.

Coeficiente de mortalidade geral

Nº total de óbitos
População total, na metade do período
 x 1000

Coeficiente de mortalidade por sexo

Nº de óbitos de um dado sexo
População do mesmo sexo, na metade do período
 x 1000

  • Estuda o perfil de mortalidade - o padrão de mortalidade masculina e feminina em um determinado lugar e tempo.

Coeficiente de mortalidade por idade

Nº de óbitos em dado grupo etário
População do mesmo grupo etário, na metade do período
 x 100000

  • Mais utilizada estatística de mortalidade, por duas razões:
    1. a probabilidade de morrer está relacionada a idade, independente do sexo;
    2. estas informações estão habitualmente disponíveis para a análise, pois são facilmente coletadas, com alto grau de precisão.

Coeficiente de mortalidade por causa

Nº de óbitos por determinada causa (ou grupo de causas)
População na metade do período
 x 100000

Coeficiente de mortalidade materna

Nº de óbitos por causas ligadas à gravidez, parto e puerpério
Nº de nascidos vivos
 x 1000

Coeficiente de mortalidade infantil

Nº de óbitos de crianças menores de um ano de idade
Nº de nascidos vivos
 x 1000

  • Um dos indicadores mais empregados para medir níveis de saúde e de desenvolvimento social de uma região).
  • A mortalidade infantil mede o risco de um nascido vivo morrer no seu primeiro ano de vida.
  • Alta correlação como as condições sociais, o que a posiciona como um bom indicador indireto das condições sanitárias
  • Coeficiente < 20/1000 é considerado baixo;
  • ≥ 50 / 1000 nascidos vivos é considerada elevada.

Coeficiente de mortalidade neonatal (infantil precoce)

Nº de óbitos com ≤ 28 dias de vida
Nº de nascidos vivos
 x 1000

Coeficiente de mortalidade neonatal precoce

Nº de óbitos com ≤ 7 dias de vida
Nº de nascidos vivos
 x 1000

Coeficiente de mortalidade neonatal tardia

Nº de óbitos com > 7 dias e ≤ 28 dias de vida
Nº de nascidos vivos
 x 1000

Coeficiente de mortalidade pós-neonatal

Nº de óbitos com > 28 dias e ≤ um ano de vida
Nº de nascidos vivos
 x 1000

Coeficiente de mortalidade perinatal

Nº de óbitos fetais com ≥ 22 semanas de gestação) + Nº de óbitos com ≤ 7 dias de vida
Nº de nascidos vivos e natimortos
 x 1000

Coeficiente de natimortalidade

Nº de natimortos
Nº de nascidos vivos + Nº de natimortos
 x 1000

Mortalidade proporcional por causas

Nº de óbitos por determinada causa (ou grupo de causas)
Todos os óbitos
 100

Mortalidade proporcional de menores de um ano

Nº de óbitos com < 1 ano
Total dos óbitos
 100

Mortalidade proporcional de 50 anos ou mais

Nº de óbitos com> 50 anos
Total dos óbitos
 100

  • As regiões mais desenvolvidas apresentam mais altos valores para este indicador.

Coeficiente de letalidade

Nº de óbitos por determinada doença
Nº de casos da mesma doença
 100 (ou 1000)